sábado, 5 de agosto de 2017

{ crianças peculiares: livro x filme

Olá, amores! Como vocês leram num post passado, uma das minhas últimas leituras foi O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares - cliquem aqui para conferir a postagem! Quando terminei de ler o livro de Ransom Riggs, minha primeira reação foi: preciso assistir ao filme. Justamente pelo que todos dizem, justamente pelo que o próprio coração trevoso diz. Na contracapa de Crianças peculiares, temos uma pequena nota de ninguém mais ninguém menos que Tim Burton. Suas palavras me parecem pesar quando se escreve um livro de fantasia em estilo dark. Assisti e resolvi que essa comparação seria interessante para fazer companhia ao post do livro, então, cá estamos. Vamos acompanhar ❤️


Livro
Título: O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares
Autor: Ransom Riggs
Editora: Leya
Gênero: aventura, fantasia
Páginas: 336

Filme
Título em português: O lar das crianças peculiares
Lançamento: 29 de setembro de 2O16
Duração: 2 horas e 3 minutos
Gênero: fantasia/aventura
Censura: 12 anos

Minha opinião sobre o livro vocês já têm. Agora, apresento à vocês as minhas duas opiniões sobre o filme: 1) a versão que eu gostei e 2) a versão que eu simplesmente não acredito não ter gostado. O lar das crianças peculiares é o típico filme de aventura para família, um filme de Tim Burton com todo ar de Tim Burton, embora menos sombrio que boa parte de suas obras - talvez por se tratar de um infanto-juvenil. Os efeitos estão dignos e adorei a forma como ele desenvolveu certos personagens - que eu não imaginava da forma como ele imaginou. É realmente divertido e encantador ler uma obra e então vê-la da forma como o mestre das sombras viu quando também leu. Afinal, ele é gente como a gente e tem todo o direito de vislumbrar a sua versão da história.

Mas, também, por se tratar de literalmente criar a sua versão da história que o filme me deixou tanto - mas tanto! - a desejar. Tim Burton, ao meu ver - e jamais dispensando sua classe dentro do próprio estilo! - usou o livro de Riggs como inspiração para uma outra história, a sua. Ele começou sutil, mudando uma coisinha aqui e outra ali, mas durante as duas horas de filme, muita coisa se modificou, coisas essas que me incomodaram - e acredito que não só a mim. Aquela velha história de "não foi assim que eu li no livro" ganhou um hole new level com o longa. Personagens foram trocados, nomes, peculiaridades, cenas aleatórias simplesmente criadas e um final que eu, que havia acabado de acabar a leitura, desconhecia. Chegou a um ponto em que eu não imaginava o que ia acontecer na próxima cena, o que para um leitor, às vezes, pode ser frustrante.

Que fique claro e declarado que meu amor pelo Tim não diminuiu nem um pouco. Apenas o deixou mais ~peculiar~.


Eu realmente não quero que deixem de ler o livro ou assistir o filme, quero justamente o contrário. Quero que leiam e assistam e compartilhem comigo suas opiniões: se concordam, se discordam. Vai ser interessante ouvir o que vocês também acharam! Espero que tenham gostado do post, meus amores! Contem-me, gostam das obras de Tim Burton? Quais são as suas preferidas? Quero saber ❤️

Beijos!

4 comentários:

  1. Adorei o post,como sempre tu arrasa! Já fiquei louca pra ler ou assistir o filme. Já ouvi falar nele mas ainda não consegui nem um nem outro kkkkk mas imagino como deva ser frustrante tu ler um livro e depois no vídeo ele ser diferente. Me parece que fica aquele sentimento faltante. Mas já tô louca pra conferir ��������

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coisa boaaaa! Se te deixei curiosa, já fiquei feliz que o post cumpriu seu papel oaiuhaoiuah 💖 Ah, é sempre interessante até porque são artes diferentes, mas sim, rola aquele vaziozinho no peito aoiuahoaiuh Obrigada pela visita, meu amor 💖

      Beijos!

      Excluir